segunda-feira, 2 de março de 2009

As forças da educação distância

As forças da educação distância na formação dos profissionais

ABERTURA

Eliminação ou redução das barreiras de acesso aos cursos ou nível de estudos. Diversificação e ampliação da oferta de cursos. Oportunidade de formação adaptada às exigências atuais, às pessoas que não puderam freqüentar a escola tradicional.

FLEXIBILIDADE

Ausência de rigidez quanto aos requisitos de espaço (onde estudar?), assistência às aulas e tempo (quando estudar?) e ritmo (em que velocidade aprender?). Eficaz combinação de estudo e trabalho. Permanência do aluno em seu ambiente profissional, cultural e familiar. Formação fora do contexto da sala de aula.

ECONOMIA

Redução de custos em relação aos dos sistemas presenciais de ensino, ao eliminar pequenos grupos, ao evitar gastos de locomoção de alunos, ao evitar o abandono do local de trabalho para o tempo extra de formação, ao permitir a economia em escala.

EFICÁCIA

O aluno, centro do processo de aprendizagem e sujeito ativo de sua formação vê respeitado o seu ritmo de aprender. Formação teórico-prática, relacionada à experiência do aluno, em contato imediato com a atividade profissional, que se deseja melhorar. Conteúdos instrucionais elaborados por especialistas e a utilização de recursos multimídia. Comunicação bidirecional freqüente, garantindo uma aprendizagem dinâmica e inovadora.

FORMAÇÃO PERMANENTE E PESSOAL

Atendimento às demandas e às aspirações dos diversos grupos, por intermédio de atividades formativas ou não. Aluno ativo: desenvolvimento da iniciativa, de atitudes, interesses, valores e hábitos educativos.Capacitação para o trabalho e superação do nível cultural de cada aluno.

João José Saraiva da Fonseca a partir de texto de João José Saraiva da Fonseca com base em texto de Claudia Landim

Postado por João José Saraiva da Fonseca em 2 de março de 2009

Nenhum comentário: