domingo, 28 de março de 2010

Ensino baseado na Web é mais eficiente

Um estudo publicado pelo governo americano, resultado de 10 anos de pesquisa, conclui que os recursos de aprendizagem online constituem uma maneira mais eficiente de aprender do que o ensino tradicional.

Como ponto de partir teremos de considerar alguns pressupostos:

- O conhecimento não se transfere, mas se constrói; o futuro do aluno depende menos de quem sabe e mais de o que ele mesmo vai fazer para aprender.

- A individualidade do desenvolvimento intelectual não pode ser abafada e dividida por idade, por ano, por matéria, por sala, por região.

- A aprendizagem não pode ser padronizada. As tecnologias educacionais neste sentido representam uma verdadeira mudança de paradigma, já que oferecem escalabilidade, canalizando a experiência do aluno, sem engessá-la. Por exemplo, atividades online com previsão de 30 minutos de duração são realizadas por alguns alunos em 20 minutos, enquanto outros levam até 50 minutos.

- A avaliação deve considerar como o aluno aprendeu para chegar a um determinado resultado. Na educação online, já que todas as ações do usuário logado podem ser acompanhadas (tempo de estudo, tipo de atividades, relação com os demais alunos, temas de preferência, etc.) para extrair correlações e melhorar o processo.

Como dizia Galileu “Não se pode ensinar nada a um homem; só é possível ajudá-lo a encontrar a coisa dentro de si.” E talvez esse tenha se tornado o principal papel de quem pretende hoje atuar em educação: ser o arquiteto de sistemas de aprendizagem híbridos cada vez mais eficientes.


Este texto foi uma adaptação de Joao Jose Saraiva da Fonseca do documento Ensino baseado na web é mais eficiente? publicado na UOL e que se refere às conclusoes do relatório Evaluation of Evidence-Based Practices in Online Learning: A Meta-Analysis and Review of Online Learning Studies do U.S Department of education.


Postado por Joao Jose Saraiva da Fonseca em 28 de março de 2010

Nenhum comentário: