sexta-feira, 26 de junho de 2009

Dicas práticas para melhorar textos de e-learning

Não faça o aluno perder tempo com bla-bla-bla

Não é ruim quando você vai assistir uma aula, uma reunião ou um congresso e percebe que aquela meia hora de bla-bla-bla poderia ser resumida em três ou quatro sentenças?

Pensando no público do curso de educação a distância para o qual é autor de material didático, ser consico e claro é essencial sobretudo se considerarmos o cansaço da leitura na tela do PC e a facilidade que o aluno tem de dispersar do curso.

O que não deverá fazer...

1 - Livre-se do metadiscurso…

Ou seja, não escreva sobre o que você está escrevendo. Por exemplo:

“Gostaria de aproveitar esta oportunidade para parabenizá-lo pelo encerramento do curso”.

Não há necessidade de dizer ao aluno o que você irá fazer. Simplemente dê os parabéns! Veja outro exemplo:

Ruim: “Na minha opinião, eu acho que deveríamos cortar as taxas de impostos”.

Aceitável: “Acho que deveríamos cortar as taxas de impostos”.

Melhorada: “Deveríamos cortar taxas de impostos”.

Melhor: “Cortar impostos”.

Na última versão, de doze palavras, chegamos a apenas duas. Em uma apresentação, estas palavras transmitem exatamente o que foi dito na primeira sentença, pois, se você está expressando a intenção de cortar impostos, fica implícito que você tem a opinião que deveriam ser cortadas as taxas de impostos.

Diga não à redundância…

Não utilize mais palavras além do necessário para expressar a idéia. Por exemplo:

“Ao recordar-se da história do seu passado, a garota gritou alto em seu próprio quarto de dormir .”

Nesta sentença, o excesso de palavras redundantes faz o leitor perder o foco no enredo e retira a emoção da frase. Talvez ficasse melhor assim:

“Ao recordar-se de seu passado, a garota gritou em seu quarto”.

Descarte termos pretensiosos…

Evite palavras pouco conhecidas, prefira termos simples. Alguns acreditam que, por utilizar termos complicados irão impressionar seus leitores, mas geralmente o efeito é o contrário. Mas atenção: saiba diferenciar o que é termo técnico e o que é palavreado desnecessário. Ao desenvolver conteúdo para cursos online, frequentemente nos deparamos com uma terminologia que não é comum à nossa, mas é utilizada na área em questão.


Fonte: Blog de Eduardo Leopold

O texto original foi adaptado para fins didáticos por Joao Jose Saraiva da Fonseca

Postado em 26 de junho de 2009 por Joao Jose Saraiva da Fonseca

2 comentários:

Régis Guimarães disse...

Gostei das dicas...

Kelly disse...

As informações deste texto são muito importantes, pois dispomos de muitos textos na net e com a necessidade do aperfeiçoamento profissional e pessoal não podemos perder tempo. Da mesma forma as pessoas que leem as nossas informações precisam de textos que sejam sucintos, criativos e fidedignos.