terça-feira, 16 de setembro de 2008

Microsoft faz campanha pelo Vista

Tento compreender as estratégias das empresas em relação às políticas de preços, mas há alturas em que me interrogo, se uma diminuição dos preços não conduziria a uma diminuição da pirataria. Entre os computadores que agora se vendem com Linux, quantos deles não vão terminar tendo instalados software da microsoft pirata?


Há coisas que não é para entender mesmo, pelo menos nós pobres mortais.




Microsoft faz campanha pelo Vista

Nova York, 9 de Setembro de 2008 - Uma campanha publicitária para tentar limpar a imagem do programa operacional WindowNova York, 9 de Setembro de 2008
Uma campanha publicitária para tentar limpar a imagem do programa operacional Windows Vista teve início na última semana com um comercial para a televisão americana. Nele, o comediante Jerry Seinfeld amacia um par de sapatos novos e Bill Gates ajusta o seu shorts, mas não há qualquer menção ao Vista. A Microsoft informou que o objetivo do anúncio é fazer com que as pessoas comecem a falar sobre o assunto e que outros anúncios da campanha de marketing - que deverá custar centenas de milhões de dólares ao longo de vários anos - abordarão, de fato, o que o software da companhia é capaz de fazer. Por mais de um ano, Bill Veghte, executivo responsável pelo Windows, provavelmente a franquia mais lucrativa da história, e sua equipe têm desenvolvido maneiras para mudar a experiência daqueles que compram e utilizam computadores pessoais que executam o programa. Diversos engenheiros da empresa foram chamados para fazer os ajustes necessários de hardware e software para tornar os PCs mais rápidos e menos sujeitos a travamentos. A Microsoft entrou no setor varejista de informática como nunca fez antes, oferecendo treinamento e aconselhamento - e, até mesmo, pagando para colocar centenas de especialistas em Windows nas lojas. Até o momento, a companhia insiste que a maior parte dos problemas técnicos com o Vista, introduzido no mercado em janeiro de 2007, após inúmeros adiamentos, foi resolvida - fato com o qual concordam muitos executivos e analistas do setor. Ainda assim, os problemas de imagem do Vista abriram a porta para alternativas ao Windows de forma nunca vista anteriormente. O sistema ainda controla mais de 90% do mercado de sistemas operacionais para PC. As falhas da Microsoft deram impulso a migrações para programas baseados na internet, como e-mails, planilhas eletrônicas e outras tarefas rodadas por meio de um navegador (browser), em vez de software instalado direto no PC. A entrada do Google no mercado de navegação na última semana foi uma declaração implícita de que o browser está superando cada vez mais os sistemas operacionais como uma porta de comunicação. A maior parte da receita da Microsoft vem do Windows e trata-se de uma soma fabulosa. No período entre julho de 2006 e junho de 2007, as receitas alcançaram quase US$ 16,9 bilhões e os lucros sobre as operações foi superior a US$ 13 bilhões, uma margem excepcional de 77%. Para manter os negócios, a Microsoft precisa que os consumidores e as empresas façam atualizações para as novas versões do Windows - algo que não tem sido tão fácil com o Vista. "O que nós temos observado com o Vista é que pela primeira vez uma fatia significativa dos consumidores e empresas têm achado que não vale a pena fazer upgrades", afirmou David B. Yoffie, professor da Harvard Business School. "Se eles não fizerem, o fim da franquia está próximo." O principal problema com o Vista, de acordo com a Microsoft, foi o fato de que - devido aos atrasos, incertezas e mudanças significativas no software - o restante do setor não estava pronto quando o Vista finalmente chegou. Há cerca de um bilhão de usuários espalhados por todo o mundo das diversas versões que existem do Windows. O Vista representou uma grande mudança com relação ao seu antecessor, o XP, de modo que ele requer inúmeros novos drivers (programas de conexão) - e a Microsoft não comunicou satisfatoriamente os seus clientes quanto ao imenso trabalho que esta troca demandava. A empresa repetiu frequentemente que um driver mais antigo ainda funcionaria com o Vista, mas deixava o PC mais lento e provocava travamentos inesperados. Hoje, 77 mil aparelhos e componentes de hardware são compatíveis com o Vista, mais do que o dobro do número que havia quando foi introduzido no mercado.


Fonte: Gazeta Mercantil - The New York Times - 10 Set 2008


Postado por João José Saraiva da Fonseca em 16 de setembro de 2008

Nenhum comentário: