terça-feira, 18 de agosto de 2009

Metodologia da problematização

A Metodologia da problematização é utilizada em situações em que os temas estejam relacionados com a vida em sociedade. Baseia-se em cinco etapas que se desenvolvem a partir da realidade ou um recorte da realidade:

* Observação da Realidade social, concreta, pelos alunos, a partir de um tema ou unidade de estudo. Os alunos são orientados pelo professor a olhar atentamente e registrar sistematizadamente o que perceberem sobre a parcela da realidade em que aquele tema está sendo vivido ou acontecendo, podendo para isso serem dirigidos por questões gerais que ajudem a focalizar e não fugir dela.


Tal observação permitirá aos alunos identificar dificuldades, carências, discrepâncias, de várias ordens, que serão transformadas em problemas, ou seja, serão problematizadas. Poderá ser eleito um desses problemas para todo o grupo estudar ou então vários deles, distribuídos um para cada pequeno grupo.


As discussões entre os componentes do grupo e com o professor ajudarão na redação do problema, como uma síntese desta etapa e que passará a ser a referência para todas as outras etapas do estudo.


A realidade pode chegar à sala de aula, trazida pelos alunos ou professores, por intermédio de relatos, fotografias, maquetes, espécimes, filmes, slides, casos escritos, cartazaes, visitas, coleções, etc.


* Na identificação dos pontos-chave, na qual os alunos são levados a refletir primeiramente sobre as possíveis causas da existência do problema em estudo. Por que será que esse problema existe? A partir daí com as informações que dispõem, passam a perceber que os problemas de ordem social (os da educação, da atenção à saúde, da cultura, das relações sociais etc.) são complexos e geralmente multideterminados. Continuando as reflexões, deverão se perguntar sobre os possíveis determinantes maiores do problema, que abrangem as próprias causas já identificadas. Os percebem desse modo que existem variáveis menos diretas, menos evidentes, mais distantes, mas que interferem na existência daquele problema em estudo.


Tal complexidade sugere um estudo mais atento, mais criterioso, mais crítico e mais abrangente do problema, em busca de sua solução. A partir dessa análise reflexiva, os alunos são estimulados a uma nova síntese: a da elaboração dos pontos essenciais que deverão ser estudados sobre o problema, para compreendê-lo mais profundamente e encontrar formas de interferir na realidade para solucioná-lo ou desencadear passos nessa direção. Podem ser listados alguns tópicos a estudar, perguntas a responder ou outras formas. São esses pontos-chaves que serão desenvolvidos na próxima etapa.


* Na teorização os alunos buscam as informações que necessitam sobre o problema, onde quer que elas se encontrem, dentro de cada ponto-chave já definido. Vão à biblioteca buscar livros, revistas especializadas, pesquisas já realizadas, jornais, atas de congressos etc.; vão consultar especialistas sobre o assunto; vão observar o fenômeno ocorrendo; aplicam questionários para obter informações de várias ordens (quantitativas ou qualitativas); assistem palestras e aulas quando oportunas etc..

As informações obtidas são tratadas, analisadas e avaliadas quanto a suas contribuições para resolver o problema. Tudo isto é registrado, possibilitando algumas conclusões, que permitirão o desenvolvimento da etapa seguinte.


* A formulação de hipóteses de solução ocorre após o estudo, como fruto da compreensão profunda que se obteve sobre o problema, investigando-o de todos os ângulos possíveis. Permitirá a fornecer elementos para os alunos, crítica e criativamente, elaborarem as possíveis soluções. O que precisa acontecer para que o problema seja solucionado? O que precisa ser providenciado? O que pode realmente ser feito?


* A Aplicação à Realidade (prática) ultrapassa o exercício intelectual . As decisões tomadas deverão ser executadas ou encaminhadas. Nesse momento, o componente social e político está mais presente. A prática que corresponde a esta etapa implica num compromisso dos alunos com o seu meio. Do meio observaram os problemas e para o meio levarão uma resposta de seus estudos, visando transformá-lo em algum grau.

De acordo com Juan Dias Bordenave e Adair Martins Pereira na obra Estratégias de Ensino-Apresendizagem: "Uma pessoa só conhece bem algo quando o transforma, tranformando-se ela também no processo. A aprendizagem torna-se uma pesquisa, sendo concebida como uma resposta natural do aluno ao desafio de uma situacao problema.





Para Juan Dias Bordenave e Adair Martins Pereira, a metodologia da problematizacao, supõe uma aprendizagem ativa do aluno.

Postado em 18 de agosto de 2009 por Joao Jose Saraiva da Fonseca

Nenhum comentário: