quarta-feira, 13 de maio de 2009

Indicadores da Qualidade na Educação Infantil

Acaba de ser lançado o caderno "Indicadores da Qualidade na Educação Infantil", um documento que está disponível gratuitamente para que as instituições promovam autoavaliações sobre o todo o processo de ensino-aprendizagem, incluindo temas como saúde, nutrição, família, comportamento, entre outros.

Elaborado em conjunto pelo Ministério da Educação, Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), a Ação Educativa e a Fundação Orsa, o documento, com 62 páginas, oferece os fundamentos da educação infantil e um roteiro de como professores, diretores, servidores das escolas e a comunidade devem proceder a autoavaliação.

A idéia dos organizadores é de que a qualidade da educação é um conceito amplo, que envolve muitos aspectos, desde o aprendizado, passando pelas condições do prédio e das salas, até as relações entre as crianças, dos adultos com as crianças, e da instituição com as famílias.

A coordenadora-geral de educação infantil da Secretaria de Educação Básica do MEC, Rita Coelho, disse que o objetivo é incentivar as escolas a construir uma cultura e um compromisso com a qualidade usando a autoavaliação como ferramenta. "Não é para fiscalizar, não é para medir, não é para comparar", disse ela ao site do ministério.

O caderno propõe a organização de sete grupos formados pela escola e a comunidade para analisar cada parte do questionário: planejamento institucional; multiplicidade de linguagens e experiências (formas de a criança conhecer e experimentar o mundo e se expressar); interações (espaço coletivo de convivência e respeito); promoção da saúde; espaços, materiais e mobiliários; formação e condições de trabalho dos professores e demais profissionais; relação de troca e cooperação com as famílias e participação na rede de proteção social.



Fonte: Revista Nova Escola

Numa primeira leitura do documento notamos que não foi realizada uma única referência a tecnologia(s), software(s) e apenas uma a Internet. Essa referência não é de utilização da Internet na educação, mas na formação dos professores.

"Para elaborar a proposta pedagógica, a equipe de uma instituição de educação infantil deve se atualizar sobre as orientações legais vigentes e sobre os conhecimentos já acumulados a respeito da educação infantil. Livros, revistas, materiais acessíveis pela internet, entre outros recursos, são importantes subsídios para fundamentar o planejamento do trabalho pedagógico, a formação em serviço e o relacionamento com as famílias."

Postado em 13 de maio de 2009 por João José Saraiva da Fonseca

Nenhum comentário: