terça-feira, 26 de maio de 2009

Partindo de uma idéia de discurso

Os discursos são conhecimentos socialmente construídos sobre (algum aspecto) da realidade. Por “socialmente construídos” queremos dizer que foram desenvolvidos em contextos sociais específicos, e de maneiras que são apropriadas aos interesses dos atores sociais naqueles contextos, sejam estes contextos muito amplos (“Europa Ocidental”) ou não (uma família particular), contextos explicitamente institucionalizados (jornais) ou não (conversa de mesa de jantar) e assim por diante.

Os discursos envolvem tanto uma versão do que realmente acontece, sobre quem está envolvido, o que fazem, onde e quando e também um conjunto de interpretações, julgamentos avaliativos, argumentos justificadores ou críticos e assim por diante, relacionados à temática abordada ou a alguns dos seus aspectos.

No caso da mídia os discursos podem, por exemplo, servir aos interesses dos países nos quais eles são produzidos, tal como percebidos na projetada audiência. Estes irão excluir ou incluir participantes e acontecimentos, ligar a sua versão sobre o que realmente acontece, com outras interpretações, julgamentos, argumentos, etc. e servir a outros interesses. E enquanto alguns discursos incluem uma grande ênfase nos acontecimentos e provêm poucas interpretações ou argumentos, outros formam um armazém de interpretações e argumentos, mas se viram com apenas uma versão larga e geral sobre o que as partes realmente fazem.

Todo discurso pode ser realizado em diferentes maneiras. O debate sobre um determinado tema pode ser realizado como (parte de) um a conversa na mesa de jantar, um documentário de televisão, um artigo de jornal.

Texto elaborado por João José Saraiva da Fonseca no âmbito do estudo do documento "Os modos e mídias da comunicação contemporânea" escrito por Gunther Kress

Postado em 26 de maio de 2009 por João José Saraiva da Fonseca

Nenhum comentário: