sábado, 16 de maio de 2009

Oftalmologistas preocupados com uso intensivo do computador

Certamente foi uma coincidência, mas no mesmo dia em que o Jornal Publico anunciava que iPhone ou iPod Touch estarão na lista de material escolar obrigatório dos estudantes de jornalismo do Missouri, a Sociedade Portuguesa de Oftalmologia alertava para fato d e que o uso cada vez maior do computador e, neste caso, de um portátil que ainda é mais pequeno, com letras mais pequenas, em que se procuram distâncias de leitura cada vez mais próximas, vai ocasionar um número de miopias com certeza.

Mas leia a notícia adaptada para fins deste blog:

O uso cada vez maior do computador e, neste caso, de um portátil que ainda é mais pequeno, com letras mais pequenas, em que se procuram distâncias de leitura cada vez mais próximas,pode fazer disparar os casos de miopia entre as crianças devido ao tamanho do portátil e às letras muito pequenas, que obrigam a uma leitura muito próxima, alertou hoje a Sociedade Portuguesa de Oftalmologia (SPO).

O coordenador do Grupo Português de Ergoftalmologia, da SPO, Augusto Barbosa, defendeu a necessidade de informar e sensibilizar a população em geral para os problemas que poderá ter o uso exagerado do computador. Alerta que o uso inadequado e excessivo do computador pode afectar a visão e afirma a importância da ergonomia visual, para a prevenção do aparecimento de patologias do foro ocular.


“Já se fala em síndrome da visão de computador e acredita-se que o aumento da prevalência da miopia, da hipermetropia, do cansaço ocular e do olho seco está relacionado com a utilização crescente das novas tecnologias”, frisou.

Estima-se que a síndrome da visão de computador afecte mais de 70 por cento da população adulta activa da Europa. Paralelamente, alguns estudos de universidades norte-americanas apontam que cerca de 30 por cento dos jovens que passam demasiado tempo em frente ao computador estejam em risco de desenvolver problemas oculares, como olho seco, irritação ocular, cansaço, hipersensibilidade à luz, hipermetropia e miopia.

Para evitar o aparecimento das doenças oftálmicas relacionadas com os computadores, a SPO informa que o ecrã deve estar 10 a 25º abaixo do nível do olhar, a iluminação e o brilho envolventes devem ser equilibrados (evitar os reflexos), o monitor tem de estar limpo, os olhos devem estar a 50 ou 60 centímetros de distância do ecrã e fazer pausas de cinco a dez minutos por cada hora de trabalho.

“Se não se reunirem as condições mínimas para que a pessoa sofra o mínimo de efeitos secundários, a produtividade a nível laboral pode ser comprometida. E, ainda mais grave, a síndrome da visão de computador poderá vir a ser um problema de saúde pública”, acrescentou.


Postado por João José Saraiva da Fonseca em 16 de maio de 2009

Nenhum comentário: