domingo, 4 de janeiro de 2009

TUTORIA EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

TUTORIA EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Autor:
João José Saraiva da Fonseca


Objetivos:
- caracterizar a relevância do trabalho do tutor num curso de educação à distância.
- Conhecer os mecanismos básicos de funcionamento e tipos de sistemas de tutoria em educação à distância.


Antes de tudo...

O tutor tem um papel muito importante dentro da equipe de educação a distância, é ele quem orienta a auto-aprendizagem, mediando o processo de ensino e aprendizagem.
Quais serão as atribuições do tutor? Onde se enquadra a sua função num sistema de educação à distância?


Qual será o papel do tutor num curso de educação a distância?

A tutoria é um fator fundamental na implementação das propostas pedagógicas de qualquer projeto de educação à distância. Responsável em grande parte pelo processo de retroalimentação acadêmica e pedagógica, a tutoria é um dos pontos de ligação entre o aluno e a instituição que promove educação a distância.

No passado, alguns programas de educação a distancia apresentavam o tutor como aquele que dirigia, orientava a aprendizagem dos alunos. Essa função estava de acordo com o significado habitualmente atribuído à palavra tutor. Oriunda do latim ela remete para a idéia de proteção (Dicionário Aurélio edição eletrônica). Na atual realidade educacional a palavra tutor tem vindo a ser substituído por facilitador, orientador de aprendizagem, etc.

Quais os desafios à tutoria num curso de educação a distância?

Uma das objeções que se colocam à educação à distância, é a ausência de uma relação afetiva na aprendizagem através das inter-relações pessoais entre os alunos e os professores. A mudança de postura do tutor visa conseguir transmitir ao aluno uma imagem de segurança e manter a motivação ao longo do curso, quebrando a idéia de isolamento que usualmente é imputada à educação a distância.


A tarefa do tutor está relacionada ao aconselhamento no que diz respeito às particularidades do estudo a distância, currículo e abordagem didático-pedagógica da disciplina. A tutoria compreende as ações de: orientação, mediação e ajuda ao aluno, no sentido de promover o seu crescimento intelectual e autonomia, ajudando-o a tomar decisões, tendo em vista o seu desempenho e as circunstâncias da sua participação como discente.

Qual o objetivo da intervenção do tutor junto do aluno?

O tutor orienta o aluno de modo a que conheça e domine o processo individual de construção da sua própria aprendizagem, condição essencial para que interiorize de formar crítica os conteúdos e as propostas pedagógicas que lhe são apresentados. Motiva o aluno “não apenas a lerem e a reproduzirem pensamentos e idéias, mas também aplicá-los” (Peters, 2001: 59). Motiva a interação dos alunos entre si e entre o aluno e a instituição que promove o curso, despertando o sentimento de pertença a uma comunidade de aprendizagem.

A tutoria deve possibilitar ao aluno o desenvolvimento de capacidades de caráter:
- Cognitivo: domínio de conhecimentos, habilidades, competências, raciocínio;
- Individual: autonomia, adaptabilidade, auto-estima, equilíbrio emocional;
- Social: relações, dinâmica de participação, convivência;
- Formação pessoal: valores, atitudes, conceitos, hábitos;
- Aprendizagens: Diversidade de níveis de amadurecimento, atitudes e interesses ante o estudo; estratégias, aprendizagens instrumentais e competências diversas, técnicas;
- Relacional: Integração, normas de comportamento, habilidades sociais.

O processo dialógico que se estabelece entre aluno e tutor é único, atendendo à subjetividade do sujeito e correspondendo ao seu tempo/espaço. O tutor detecta as principais dificuldades do aluno no estudo, diagnosticando suas causas e procurando ultrapassá-los. Motiva-o a manter o seu ritmo de aprendizagem, auxiliando no superar das dificuldades através de orientação individual e/ou coletiva. Nesse sentido as novas tecnologias da informação e da comunicação facilitam essa tarefa (Neder, 2000).

Quais as características da intervenção do tutor junto do aluno?

A intervenção do tutor é precisa e clara. A partir do conhecimento do curso e do material didático, ele reforça o trabalho do aluno, dando-lhe uma visão global do estudado, situando o aprendido no conjunto dos conteúdos das disciplinas ou áreas de estudo e motivando o aluno a buscar elementos bibliográficos complementares para dar respostas às suas dúvidas.

O tutor tem um papel interveniente e relevante no processo de ensino aprendizagem, sendo responsável como o professor pelo ensino (Litwin, 2001). Funciona como propõe Ramal com base nas idéias de Pierre Lévy, como um “dinamizador da inteligência coletiva” (2002: 205), responsável por:
- gerenciar o processo de construção cooperativo do conhecimento;
- transformar grupos de alunos heterogêneos em comunidades inteligente, flexíveis, autônomas e felizes;
- integrar as múltiplas competências dos estudantes a partir de um diagnóstico constante;
- promover a abertura de novos espaços e tempos de aprendizagem;
- motivar a pluralidade de linguagens, expressões e contextos culturais individuais e coletivos.

O tutor promove a criação do que Lévy (2002) apelida de um ecossistema de auto-organização de idéias, baseada em três vertentes:
- técnica representada pelos conteúdos;
- abstrata representada pela comunicação;
- relacional que se estabelece entre todos os intervenientes no processo de ensino aprendizagem.

Quais os princípios essenciais ao desenvolvimento do trabalho do tutor?


O trabalho do tutor será facilitado na medida em que disponha de instrumentos de comunicação eficaz com o aluno e trabalhe com um número de alunos que possibilite atender às exigências. “O ideal é uma relação de um orientador para cada 20/30 alunos” (Neder, 2000: 117). Em relação a cada aluno é fundamental que o tutor estabeleça uma relação de confiança mútua, baseada em alguns princípios básicos:

Flexibilidade: respeitar as condições, recursos e realidade do aluno.
Oportunidade: responder às necessidade e dificuldades dos alunos logo que estes solicitem o apoio.
Permanência: estar disponível durante todo o processo de aprendizagem.
Motivação: despertar no aluno interesse e dinamismo pela construção do conhecimento.
Respeito: levar em conta a personalidade, os valores, sentimentos e limitações dos alunos.

Para além de auxiliar o aluno na aquisição de conceitos e habilidades, o tutor participa do processo de avaliação do curso, acompanhando todo o percurso de aprendizagem do aluno e no final informando ao aluno que não teve o desempenho considerado como mínimo, as atividades que deverá realizar para passar à etapa seguinte e disponibilizando o material de consulta bibliográfica, materiais audiovisuais e outros.


Quais as responsabilidades da instituição que promove o curso de educação a distância, com relação ao tutor?

A instituição que promove o curso tem responsabilidades com a atuação do tutor, tais como a definição criteriosa do seu perfil e as características da sua capacitação tendo em conta as competência necessárias para a atuação no curso. Essas competências envolvem:
- conhecimento do conteúdo;
- conhecimento pedagógico geral;
- conhecimento curricular;
- conhecimento didático da abordagem dos conteúdos;
- conhecimento do contexto educacional do curso e dos alunos;
- conhecimento das finalidades, propósitos e valores educacionais do curso, bem como das raízes históricas e filosóficas, subjacentes ao seu planejamento, desenvolvimento e avaliação (Litwin, 2001).


A instituição que promove o curso também organiza um sistema de comunicação em rede que permite a interação entre professores, alunos e tutores para a promoção do processo de construção da aprendizagem dos alunos. Avalia constantemente o modelo de tutoria de modo a corresponder à exigência de propiciar a interação e a interatividade necessária entre a instituição e os alunos. Envolve os tutores no projeto de educação a distância, para que tenham a exata noção do contexto em que atuam e possam desse modo atuar da melhor forma e serem responsabilizados pelo seu desempenho. Com base nesse trabalho integrado com a equipe de desenvolvimento e avaliação do curso, o tutor estabelece e atualiza permanentemente informações que lhe possibilitem saber, em relação aos alunos:
- Quais as suas razões para estudar e porquê;
- Que experiência apresentam no estudo a distância;
- Que problemas poderão ocorrer durante o curso a distância e suas causas;
- Quando tempo têm disponível para o curso;
- Que expectativas e ansiedades têm em relação ao curso;
- Que instrumentos de mediação os alunos dispõem;
- Quais as suas habilidades com os instrumentos de mediação utilizados pelo curso;
- Qual as expectativas que têm em relação ao trabalho do tutor;
- Que necessidades terão do tutor.


Quais as características que identificam um sistema de tutoria?

A escolha das características da tutoria deverá refletir as necessidades e possibilidades reais da instituição, dos tutores e alunos, podendo ser.

Tutoria à distância
Abre novas possibilidades de comunicação quando a presencialidade não é possível ou necessária. Possibilita uma via de comunicação imediata para esclarecer e resolver dúvidas, permitindo a poupança de tempo.

Tutoria presencial
O encontro presencial possibilita um conhecimento mais pormenorizado da situação pessoal do aluno, oferecendo um maior espaço de interação entre ele e o tutor.

Tutoria individual
O tutor comunica com o aluno de modo individualizado, fomentando uma relação pessoal entre ambos. Permite uma solução mais específica dos problemas que surjam com os alunos.

Tutoria grupal
Oferece a possibilidade de os alunos comunicarem entre si. Abre espaços de discussão, reflexão e trabalho cooperativo, fomentando a participação ativa de todos os participantes no curso.

Tutoria obrigatória
Os alunos são obrigados a cumprir determinados requisitos de participação na tutoria, conhecidos no início do Curso.

Tutoria livre
O aluno tem liberdade de decisão no acesso ao tutor.

Tutoria fixa
A tutoria está disponível em dia, data e hora pré-determinada.

Tutoria flexível
A tutoria encontra-se aberta às necessidades do aluno, podendo marcar um encontro com o tutor quando considerar necessário

Tutoria postal
Utiliza como instrumento de mediação a via postal. Apresenta como principal obstáculo a morosidade na comunicação.

Tutoria telefônica
O telefone permite uma comunicação rápida e eficaz, possibilitando o esclarecimento rápido das dúvidas do estudante. Permite uma relação direta e interpessoal. Para facilitar esta comunicação o tutor precisa "saber escutar", ser cordial, ter clareza de expressão e demonstrar entusiasmo, amizade e simpatia.

Tutoria por audiocassete
O audiocassete é um recurso de mediação utilizado na educação a distância. O tutor pode empregar este meio para comunicar-se com os alunos e estes com ele. Não é difícil gravar as mensagens e, muitas vezes, torna-se mais fácil para o estudante falar do que escrever.

Tutoria síncrona ou assíncrona na Internet e videoconferência
Com o avanço da tecnologia, principalmente no campo da informática, outros instrumentos de mediação foram disponibilizados É o caso da videoconferência, do correio eletrônico, do fórum de discussão e do chat.

Ler mais o que

UDESC Virtual – educação a distância
Disponível em: http://virtual.udesc.br/html/cur_tutoria.htm
(29 de setembro de 2003)


TUTORIA, UMA AJUDA INDISPENSÁVEL!

Definimos a tutoria como uma ação orientadora global, chave para articular a instrução e o educativo. O sistema tutorial compreende, assim, um conjunto de ações educativas que contribuem para desenvolver e potencializar as capacidades básicas dos alunos, orientando-os para obterem seu crescimento intelectual e autonomia, e para ajudá-los a tomar decisões em vista de seus desempenhos e suas circunstâncias de participação como aluno.
Em uma abordagem prévia, o conceito de tutoria se relaciona ao conceito de orientação, mediação e ajuda, que se deve dar aos alunos e, em nosso caso, à equipe docente. Com o objetivo de dar respostas a todas as necessidades que, sendo mais ou menos específicas, não necessitam ficar restritas às competências do professor, se trata de atender a algumas necessidades gerais, derivadas das características dos indivíduos que dizem respeito aos processos de:
Desenvolvimento:
Cognitivo: domínio de conhecimentos, habilidades, competências, raciocínio.
Individual: autonomia, adaptabilidade, auto-estima, equilíbrio emocional.
Social: relações, dinâmica de participação, convivência.
Aprendizagens: Diversidade de níveis de amadurecimento, atitudes e interesses ante o estudo; estratégias, aprendizagens instrumentais e competências diversas, técnicas.
Formação pessoal: valores, atitudes, conceitos, hábitos.
Relações: Integração, normas de comportamento, habilidades sociais.
Agora que compreende mais a atuação dos tutores, que são professores especialmente designados para estas tarefas, você contará com o auxílio deles para realizar seus estudos com êxito. Ou seja, a de orientá-lo e auxiliá-lo em quaisquer disciplinas e atividades nas quais você esteja encontrando dificuldades.
Compete ao tutor, além de participar dos cursos de aprofundamento teórico, relativos aos conteúdos das diferentes disciplinas do curso, familiarizar-se com a modalidade da Educação a Distância, e desenvolver atividades relacionadas ao Curso como:
a) conhecer e participar das discussões relativas à confecção e uso do material didático;
b) detectar os principais problemas dos alunos, diagnosticando suas causas e procurando saná-los;
c) auxiliar o aluno a superar dificuldades, orientando-o individualmente e/ou coletivamente;
d) ajudar o aluno em suas dificuldades, motivando-o a buscar materiais didáticos complementares para dar respostas às suas dúvidas;
e) estimular o aluno a manter seu ritmo de aprendizagem;
f) reforçar o trabalho do aluno, dando-lhe uma visão global do estudado, situando o aprendido no conjunto das disciplinas;
g) indicar ao aluno que não teve o desempenho mínimo na avaliação, as atividades que deverá realizar para passar à etapa seguinte;
h) auxiliar o aluno na aquisição de conceitos e habilidades;
i) motivar o aluno, auxiliando-o a compreender as relações do estudo com seus interesses particulares e profissionais;
j) colocar à disposição do aluno material de consulta bibliográfica, materiais audiovisuais e outros
l) participar do processo de avaliação do Curso.


Sei ou não sei

- Qual o papel de um tutor num curso de educação a distancia?
- Quais os aspectos essenciais da intervenção do tutor?
- Qual a contribuição que o tutor pode dar na avaliação e permanente reajuste do curso à realidade do aluno?

Atividades de avaliação


Terminada a leitura do texto “TUTORIA EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA”, reflita sobre as seguintes questões:
- qual o perfil de um tutor ideal?
- qual a sua intervenção num curso a distância?
- Considerando a sua situação de aluno de um curso a distancia, reflita sobre as características que um sistema de tutoria deveria ter, para nas atuais circunstancias atender a suas necessidades especificas.


Síntese

A tarefa do tutor num curso de educação a distancia compreende ações de orientação, mediação e ajuda ao aluno, visando promover o conhecimento e domínio do processo individual de construção da sua aprendizagem. A instituição que promove o curso organiza um sistema de comunicação em rede, que possibilita a interação entre todos os intervenientes no processo de ensino-aprendizagem e em que as novas tecnologias da informação e comunicação tem um papel cada mais relevante.



Bibliografia

LÉVY, Pierre Cyberdémocratie Paris: Editions Odile Jacob, 2002.
LITWIN, E. Educação a distância : temas para o debate de uma nova agenda educativa. Porto Alegre : Artmed, 2001.
NEDER, M.L.C. A orientação acadêmica na educação a distância: a perspectiva de (re)significação do processo educacional. In:
PETERS, Otto. Didática do Ensino a Distância. São Leopoldo: UNISINOS, 2001.
PRETI, O. Educação a Distância: construindo significados. Brasília: Plano, 2000.

Autoria de João José Saraiva da Fonseca



tutor (ô). [Do lat. tutore.] S. m. 1. Indivíduo legalmente encarregado de tutelar alguém. 2. Protetor, defensor. 3. Vara ou estaca usada para amparar um arbusto, trepadeira, ou árvore flexível. 4. Aluno designado como professor de outros alunos, em formas alternativas de ensino. [Flex., nas acepç. 1, 2 e 4: tutora (ô), tutores (ô), tutoras (ô). Cf. tutora, tutoras, tutores, do v. tutorar.]
(Dicionário Aurélio)


chat . [Ingl., 'conversa informal'.] Inform. 1. Forma de comunicação através de rede de computadores (ger. a Internet), similar a uma conversação, na qual se trocam, em tempo real, mensagens escritas; bate-papo on-line, bate-papo virtual, papo on-line, papo virtual.
(Dicionário Aurélio)


Postado em 4 de janeiro de 2009 por João José Saraiva da Fonseca

Nenhum comentário: